Chá Acadêmico da ASL aborda “A Função Social da Poesia” nesta quinta-feira no Centro Cultural

Categoria: Geral | Publicado: terça-feira, abril 26, 2016 as 16:16 | Voltar

Campo Grande (MS) – A Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL) com apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), realizará nesta quinta-feira (28 de abril), mais uma edição do tradicional Chá Acadêmico, às 19 horas, na sala Rubens Corrêa, do Centro Cultural José Octávio Guizzo (CCJOG). O evento tem entrada franca, duração aproximada de 60 minutos e classificação livre.

Da programação anual da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, o chá Acadêmico é destaque e o evento mais concorrido, pois criado no mês de fevereiro de 2005, tem proporcionado um beneficio enorme no campo do conhecimento literário e aglutinando autoridades civis, militares e eclesiásticas, num conjunto formidável de palestras com a finalidade de incentivar a literatura do estado de Mato Grosso do Sul.

Nesta edição, a palestrante convidada é a doutora e escritora Raquel Naveira, que discorrerá sobre o relevante tema: “A Função Social da Poesia”, refletindo sobre para que serve a poesia, essa milenar atividade humana que se utiliza da palavra em sua potência estética. A poesia como um modo de ver, a sua ligação com a educação e com o conhecimento autêntico. As questões do novo, da tradição, dos temas e motivos que expressam, ao mesmo tempo, uma realidade pertinente ao indivíduo e à coletividade.

Falará também sobre o seu novo livro "Jardim Fechado: uma Antologia Poética", editora Vidráguas, de Porto Alegre/RS, que traz um painel significativo de suas obras poéticas publicadas até aqui, desde o livro "Via Sacra", de 1989, passando por seus romanceiros épicos como "Guerra entre Irmãos: poemas inspirados na Guerra do Paraguai" e "Sob os Cedros do Senhor: poemas inspirados na imigração árabe e armênia em Mato Grosso do Sul" até os poemas inéditos de "Jardim  Fechado". O livro traz um prefácio do poeta Carlos Nejar, da Academia Brasileira de Letras, e excertos de jornais e opiniões de intelectuais que acompanharam a sua obra durante essas três décadas de vida dedicada à Literatura.

Raquel Naveira nasceu em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, no dia 23 de setembro de 1957. Formou-se em Direito e em Letras pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB/MS), onde exerceu o magistério superior, desde 1987 até 2006, quando se aposentou e mudou para São Paulo, onde permaneceu por dez anos. Doutora em Língua e Literatura Francesas pela Universidade de Nancy, França. Mestre em Comunicação e Letras pela Universidade Presbiteriana Mackenzie/SP. Apresentadora do programa literário “Prosa e Verso” pela TV UCDB (2000-2006) e do “Flores e Livros” pela UP TV e pela ORKUT TV. Pertence à Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, à Academia Cristã de Letras de São Paulo e ao Pen Clube do Brasil. É palestrante, dá cursos de Pós-Graduação e oficinas literárias. Escreveu vários livros, entre eles: Abadia e Casa de Tecla, finalistas do Prêmio Jabuti de Poesia da CBL.

O Chá Acadêmico ocorre sempre na última quinta-feira de cada mês e será realizado no CCJOG até que a ASL termine a construção de sua sede própria que fica localizada na rua 14 de Julho, no bairro São Francisco.

A Academia de Letras e História de Campo Grande fundada no dia 30 de outubro de 1971, pelo escritor Ulisses Serra que estava acompanhado dos escritores José Couto Viera Pontes e Germano Barros de Sousa. Em 1979 com a divisão do Estado, passou a se chamar Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL). Portanto com 45 anos de existência a instituição literária já editou mais de 500 livros, pronunciou centenas de palestras, através de seus acadêmicos nas mais diversas instituições de ensino e culturais de Mato Grosso do Sul. Oferece aos estudantes das escolas do município, do estado e particulares um centro de pesquisas, envolvendo todos os livros históricos sul-mato-grossenses.  Também a entidade edita duas edições da Revista Literária do Estado de Mato Grosso do Sul e também edita uma página semanal no jornal Correio do Estado, com enfoque literário.

Serviço: Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3382-1395 ou no Centro Cultural José Octávio Guizzo, que fica na rua 26 de Agosto, 453 entre a avenida Calógeras e a rua 14 de Julho.

 

 

 

Publicado por: jgribeiro

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.